Evolução da população

DEMOGRAFIA E INDICADORES

A Demografia é a ciência que estuda a evolução e a distribuição da população, bem como os seus comportamentos. A forma mais directa de conhecer o número de habitantes total duma determinada região ou país ou mesmo continente é o recenseamento (contagem estatística da população realizada de 10 em 10 anos).

INDICADORES DEMOGRÁFICOS

Natalidade: número de nados-vivos (crianças com menos de 1 ano) ocorridos num determinado período e num determinado lugar.

• Mortalidade: número de óbitos ocorridos num determinado período num determinado lugar.

Crescimento Natural: diferença entre natalidade e mortalidade (CN=N-M)

Pode ser positivo (N>M), nulo (N=M) ou negativo (N

Taxas (exprimem-se em permilagem ‰):

Taxa de Crescimento Natural: TN − TM = TCN

Saldo Migratório: diferença entre a imigração e a emigração (SM=I-E)

Crescimento Efectivo: CN + SM (soma do crescimento natural com o saldo

migratório).

EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL

1ª FASE: REGIME DEMOGRÁFICO PRIMITIVO (ATÉ MEADOS DO SÉC XVIII) - Crescimento populacional muito lento 

  • Taxa de Natalidade muito elevada
  • Taxa de Mortalidade muito elevada
  • Taxa de Crescimento Natural muito baixa
  • Esperança média de vida muito reduzida

 

 Factores:

  • Falta de cuidados sanitários
  • Fome
  • Epidemias
  • Guerras
  • Desconhecimento no campo da medicina
  • Desconhecimento dos métodos de contenção de nascimentos
  • Religião/ Cultura

2ª FASE: REVOLUÇÃO DEMOGRÁFICA (DESDE O SÉC XIX ATÉ 1950) - Aumento mais acelerado que na fase anterior

  • Taxa de Natalidade muito elevada
  • Diminuição da Taxa de Mortalidade
  • Aumento do Crescimento Natural

Factores:

  • Aumento da produção agro-pecuária
  • Melhoria das condições sanitárias
  • Descobertas no campo da medicina
  • Progressos técnicos consequentes da Revolução Industrial
  • Melhoria das condições de trabalho

 

3ª FASE: EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA - Crescimento muito rápido da população mundial

Humanidade apresenta características demográficas heterogéneas:

  • Países Desenvolvidos
  • Países Em Desenvolvimento
Países Desenvolvidos:

- Redução da Taxa de Natalidade:

  • Melhoria do nível de vida e maior preocupação com a educação dos filhos
  • Planeamento familiar
  • Generalização do Uso de Contraceptivos
  • Emancipação da Mulher
  • Desejo realização pessoal e profissional nos casais
  • Preço das habitações
  • Casamento tardio
  • Proibição do trabalho infantil

- Redução da Taxa de Mortalidade:

  • Melhoria das condições de trabalho
  • Elevado nível de vida das populações
  • Progressos da medicina
  • Generalização do uso de vacinas e antibióticos
  • Boa assistência médica
  • Hábitos de higiene
  • Boas condições sanitárias
  • Boa alimentação
Países em Desenvolvimento:

- Taxa de Natalidade elevada:

  • Ausência do planeamento familiar
  • Religião contesta o uso de contraceptivos
  • Tradição de famílias numerosas
  • Filhos vistos com “mão-de-obra” gratuita
  • Jovens casam muito cedo
  • Analfabetismo

- Diminuição da Taxa de Mortalidade:

  • Ajudas Humanitárias (alimentos, medicamentos, vacinas, …)

 

A actual Explosão Demográfica deve-se, principalmente, ao comportamento demográfico dos Países

em Desenvolvimento (PED)

 

 

 

A transição demográfica

 

A transição demográfica é, no geral, um processo de passagem de um ritmo de crescimento populacional a outro, com a diminuição de taxas de mortalidade e natalidade, sendo que a primeira diminui mais rápido que a segunda, causando um período de aumento de grande acréscimo populacional

 

Os países desenvolvidos já realizaram sua transição demográfica, estando, portanto, no Regime Demográfico Moderno, ao passo que os menos desenvolvidos, na grande maioria, só deverão completá-la por volta do ano 2050. Atualmente, a maioria dos países em desenvolvimento encontram-se na Transição Demográfica.

 

 REGIME DEMOGRÁFICO PRIMITIVO: Dos primórdios da humanidade até meados do século XVIII, aproximadamente:

  • natalidade elevada
  • taxa de mortalidade bastante alta (decorrente principalmente das precárias condições higiênico-sanitárias, das epidemias, das guerras, da fome...)
  • esperança de vida baixa

Os fatores anteriores explicam o baixo índice de crescimento demográfico desse período.

 

 

TRANSIÇÂO DEMOGRÀFICA: ocorre grande crescimento da população (muitos PED encontram-se nesta fase).

1ª Fase:

 

  • elevadas taxas de natalidade
  • baixas taxas de mortalidade
  • crescimento natural elevado e crescente

 

2ª Fase:

 

  • redução das taxas natalidade
  • manuntenção das taxas de mortalidade baixas
  • redução do crescimento natural

Na Europa ocidental, a Revolução Industrial contribuiu para a melhoria das condições higienico-sanitárias, médico-hospitalares e alimentares e no combate às epidemias, reduzindo a mortalidade. Entretanto, a natalidade permaneceu elevada durante quase todo o século XIX, o que explica o grande crescimento populacional da Europa nesse período.

 

REGIME DEMOGRÀFICO MODERNO:  baixo crescimento e até mesmo em estagnação do crescimento populacional. A transição demográfica encontra-se concluída.

  • baixas taxas de natalidade e de mortalidade

A  maior parte dos PD apresenta taxas de crescimento muito baixas, nulas e até negativas.

Em alguns PED tem ocorrido uma transformação na estrutura familiar, na qual vários fatores contribuem para que as mulheres tenham menos filhos.

 

 

ESTRUTURA ETÁRIA

 

A Estrutura Etária consiste na distribuição da população por sexo (feminino ou masculino) e idade.

 

A população divide-se em 3 grupos etários:

  • Jovens: 0 a 14 anos
  • Adultos: 15 a 64 anos
  • Idosos: 65 e mais anos

O estudo da estrutura etária faz-se através das Pirâmides Etárias.

 

O formato da pirâmide representa a demografia da região representada. Pela pirâmide é possível identificar se uma determinada população é jovem ou envelhecida. As pirâmides podem ainda apresentar classes ocas (classe etária em que o número de pessoas é inferior ao da classe seguinte).

 

Pirâmides de países desenvolvidos (ex. Europa 2006) representam:
  • Taxa de Natalidade baixa
  • Elevada esperança média de vida
  • Pequena proporção de jovens
  • Crescimento demográfico reduzido
  • População Envelhecida

 

Pirâmides de países em Desenvolvimento (ex. África 2006)representam:

 

  • Taxa de Natalidade elevada
  • Esperança média de vida baixa
  • Grande proporção de jovens
  • Forte crescimento demográfico
  • População Jovem

 

As pirâmides classificam-se ainda como:

  •  Pirâmide jovem ou Crescente (base larga e topo estreito - típica dos PED)
  • Pirâmide Adulta ou de Transição (base e centro largos - típica dos PEd onde se verificou uma quebra na natalidade  e um aumento da EMV devido à redução da mortalidade)
  •  Pirâmide Idosa ou Decrescente (base estreita em relação a um topo largo - típica dos PD)
  •  Pirâmide Rejuvenescente (classes da base com um aumento - típica de países onde se aplicaram políticas natalistas - PD)

 

 

RITMOS DEMOGRÁFICOS

POPULAÇÃO ENVELHECIDA - consequências:

 

  • Redução do Índice Sintético de Fecundidade (número médio de filhos por mulher em idade fértil: 15 até 49 anos)
  • Aumento da esperança média de vida
  • Diminuição da população activa
  • Diminuição do espírito de iniciativa e criativo
  • Aumento das despesas de Segurança Social (reformas)
  • Aumento das despesas com a saúde
  • Necessidade de construção de lares e adaptar equipamentos e serviços de lazeràs necessidades dos idosos

     

 POPULAÇÃO JOVEM - consequências:

  • Quando é retratado uma população jovem é importante referir:
  • Incapacidade de garantir educação e formação da população
  • Taxa de Analfabetismo e de Desemprego elevadas
  • Incapacidade de garantir as necessidades básicas como habitação, alimentação, originando miséria e pobreza.

 

POLÍTICAS DEMOGRÁFICAS

 

POLÍTICAS NATALISTAS

Nos países desenvolvidos, a preocupação com o envelhecimento da população justifica a escolha de uma política natalista. As medidas de incentivo são, nomeadamente:

  •  Aumento do abono de família
  •  Benefício, financeira e fiscalmente, das famílias numerosas
  •  Aumento do período de licença de maternidade/paternidade
  •  Melhoria da assistência médico-infantil
  • Construção de uma rede pública de ensino pré-primário
  • Flexibilização de horários de trabalho
  •  Valorização da mulher no emprego

 

POLÍTICAS ANTINATALISTAS

Nos países em desenvolvimento, o controlo do crescimento populacional originou as seguintes medidas pertencentes a uma política antinatalista:

  • Benefícios, financeira e fiscalmente, das famílias pequenas
  • Divulgação do planeamento familiar
  • Incentivo ao casamento tardio
  • Valorização da mulher na sociedade
  • Distribuição gratuita de contraceptivos
  • Atribuição de bolsas de estudo a raparigas
  • Legalização do aborto

 

Vídeo: ONU alerta para desequilíbrio demográfico

http://www.youtube.com/watch?v=dNbVK-2g8Ok 

 

 

 Vídeo: China: sobreviver à margem da lei 

http://www.youtube.com/watch?v=BVIhtyC1WFQ