Agricultura

Agricultura: atividade económica do setor primário, praticada pelo Homem para satisfazer as suas necessidades com o cultivo de alimentos.

 

Espaço Agrícola: toda a área onde o Homem criou as suas estruturas com o objetivo de praticar a agricultura.

 

Morfologia Agrária divide-se em:

  • Vastas Explorações - campos de grandes dimensões – latifúndios;
  • Pequenas Explorações – campos de pequenas dimensões – minifúndios;

 

Sistema de Cultivo baseia-se na forma como a terra é utilizada:

  • Policultura – quando no mesmo terreno coexistem várias culturas.
  • Monocultura - quando no mesmo terreno existe apenas o desenvolvimento de uma cultura.

 

Sistema de Rega/Irrigação caracteriza-se por um conjunto de técnicas que permite fornecer água às culturas:

  • Agricultura de Sequeiro: quando as culturas se desenvolvem apenas com a água das chuvas.
  • Agricultura de Regadio: quando as culturas são regadas pelo Homem para satisfazem as suas necessidades.

 

Aproveitamento da Terra:

  • Regime Intensivo: quando o terreno está sempre ocupado por culturas agrícolas diferentes, não repousando em nenhuma altura do ano.
  • Regime Extensivo: quando o terreno apenas está ocupado uma parte do ano.

 

FACTORES QUE INFLUENCIAM A AGRICULTURA

Clima: as várias culturas necessitam de diferentes níveis de:

  • Temperatura
  • Luminosidade
  • Humidade

Relevo

Solo: (fertilidade dos solos)

Desenvolvimento Tecnológico: combate às condições adversas da Natureza (recurso a estufas ou socalcos).

Investigação Científica: obtenção de informações sobre os solos e as culturas mais adequadas.

Produtos Químicos: obtenção de maiores produções contrariando a  pobreza dos solos ou as pragas.

Estabilidade Económica e Política

Tradições Culturais

 

NOÇÕES A SABER:

Produtividade agrícola: Corresponde à relação existente entre a produção obtida e o número de trabalhadores utilizados (quanto maior é o número de trabalhadores menor é a produtividade).

Rendimento agrícola: Corresponde à relação existente entre a produção obtida e a superfície cultivada.

 

 

Tipos de Agricultura

Agricultura Tradicional:

             O principal objetivo é produzir o suficiente para a alimentação da família do agricultor: produção de subsistência e autoconsumo.

  • Utilização de instrumentos muito rudimentares como a enxada, a charrua, o arado,
  • Uso de fertilizantes naturais
  • Registo de baixos níveis de rendimento e produtividade agrícola
  • Prática em explorações agrícolas de pequenas dimensões
  • O sistema agrícola adotado é, geralmente, a policultura de modo a variar a alimentação no agregado familiar
  • É predominantemente praticada em regime extensivo

 

Agricultura Moderna

            O principal objetivo é produzir em grandes quantidades para obter lucro

  • Utilização de mecanização como tratores, ceifeiras-debulhadoras, semeadoras…
  • Uso de produtos químicos como fertilizantes, pesticidas, herbicidas…
  • Elevada produtividade e rendimento
  • Prática em grandes explorações agrícolas
  • O sistema agrícola adotado é a monocultura
  • Predominantemente praticada em regime intensivo (há exceções - agricultura norte-americana).

 

     

 

Alguns tipos de agricultura no mundo:

 

Agricultura europeia: tem tido inúmeras transformações e com progressos para uma especialização cada vez mais acentuada, tendo em mente corrigir o excesso de produção em determinados aspectos. Esta tendência acentuou-se com a criação da PAC (Política Agrícola Comum) que através de subsídios tentou  por ex. diminuir as produções excedentárias e criar medidas  amigas do ambiente.

  • bastante mecanizada
  • agricultura intensiva
  • elevados rendimento e produtividade agrícola
  • recurso a eficientes sistemas de rega, fertilizantes químicos, investigação científica e tecnológica
  • praticada em terras de pequena e média dimensão

Agricultura norte-americana:

  • muito mecanizada
  • agricultura extensiva com alta produtividade agrícola
  • recurso a técnicas modernas
  • praticada em terras de grande dimensão - latifúndios

 

Agricultura de plantação:

  • praticada sobretudo em regiões tropicais (ex. América Central e so Sul, África, sudeste asiático) já que os produtos explorados são próprios de climas quentes, tais como: café, cacau, borracha, algodão, cana-do-açucar...
  • a exploração é feita por empresas multinacionais, sediadas nos EUA ou Europa
  • os produtos destinam-se à exportação/transformação industrial.
  • A mão-de-obra é local

 

Agricultura itinerante sobre queimada:

  • agricultura tradicional, praticada em áfrica ou regiões da Ámerica do Sul
  • extensiva
  • recorre à queimada para limpar e fertilizar  o campo (cinzas)
  • quando os solos estão esgotados as populações deslocam-se para outras áreas, repetindo o processo
  • contribui para a destrição de florestas e erosão dos solos

 

Rizicultura

  • praticada na Ásia (sul, sudeste e ásia oriental)
  • mocultural e intensiva
  • exigente em mão-de-obra
  • estrumação natural
  • em equilíbrio com as condições naturais  (monções)- O arroz é semeado durante a estação de chuvas (junho a outubro), pois as variedades de arroz comuns nestas requerem água em abundância.

Agricultura extensiva de sequeiro:

  • baseia-se no cultivo extensivo de cereais e na pecuária extensiva
  • adaptada a regiões de clima quente e seco

 


AGRICULTURA/LUCRO

Para aumentar significativamente a produção surgiram vários produtos de origem química:

Fertilizantes -  Minerais e orgânicos

Pesticidas - alguns ex: Acaricidas: ácaros. Bactericidas: bactérias. Fungicidas: fungos. Herbicidas: ervas daninhas.Insecticidas:  insectos.Rodenticidas: ratos e outros tipos de roedores.

EFEITOS NOCIVOS DE PESTICIDAS

O uso de agrotóxicos pode causar a contaminação e desertificação do solo.

O uso intenso de agrotóxicos pode levar adegradação dos recursos naturais, em alguns casos de modo irreversível, provocando desequilíbrios biológicos e ecológicos como acontaminação dos lençóis freáticos, este produtos químicos podem também oferecer riscos para a saúde humana.


 

Agricultura biológica: uma agricultura sustentável que se baseia em objectivos/princípios/práticas comuns desenvolvidas para minimizar o impacto humano sobre o ambiente e assegurar que o sistema agrícola funciona da forma mais natural possível.

As práticas tipicamente usadas em agricultura biológica incluem:

  • Rotação de culturas, como um pré-requisito para o uso eficiente dos recursos locais
  • Limites muito restritos ao uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos, de antibióticos, aditivos alimentares e auxiliares tecnológicos, e outro tipo de produtos
  • Proibição do uso de organismos geneticamente modificados
  • Aproveitamento dos recursos locais, tais como o uso do estrume animal como fertilizante ou alimentar os animais com produtos da própria exploração
  • Seleção de espécies vegetais e animais resistentes a doenças e adaptadas às condições locais
  • Criação de animais em liberdade e ao ar livre, fornecendo-lhes alimentos produzidos segundo o modo de produção biológico
  • Utilização de práticas de produção animal apropriadas a cada espécie

Vantagens:

  • Ausência de restos de pesticidas, para uma alimentação mais saudável e natural
  • É uma produção que utiliza os produtos naturais como uma ferramenta imprescindível no tratamento das explorações, aumentando deste modo a biodiversidade local
  • A produção requer maior mão-de-obra que a produção convencional, pelo que no âmbito local os benefícios são evidentes;
  • Devido à utilização de fertilizantes orgânicos de baixa solubilidade, e empregues nas quantidades exactas, diminuiu a contaminação de águas subterrâneas e solos
  • A não utilização de pesticidas contribui para uma melhor qualidade do ar
  • Os produtos derivados de uma produção ecológica, segundo os defensores, são mais ricos a nível nutritivo que os produtos provenientes de explorações convencionais


Desvantagens:

  • Em geral os alimentos ecológicos resultam de uma aparência menos agradável (brilho, tamanho, etc.), apesar do aspecto estes produtos contêm o valor nutritivo necessário para a nossa dieta quotidiana
  • Em alguns casos a sua conservação tem uma durabilidade mais reduzida que os produtos convencionais
  • São produtos um pouco mais caros devido aos sistemas produtivos serem mais lentos e necessitarem de mais mão-de-obra.
  • A fraca produtividade (em termos de tempo de produção e quantidades produzidas).

Conclusão: A produção biológica é uma técnica que inclui práticas agrícolas e pecuárias que, embora conduzindo a uma exploração sustentável dos solos, necessita ainda de alguns desenvolvimentos e apoios científicos, por forma a permitir uma maior rentabilização económica, bem como um aumento da capacidade produtiva, de maneira a assegurar o suporte alimentar da população mundial.
 

Vídeo: O Planeta agradece Produtos biológicos-Episodio 12 RTP1

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Oo2mcP78pJA

 

A AGRICULTURA HIDROPÓNICA

Tipo de agricultura amiga do ambiente em que não necessita de solo para produzir plantas. A região portuguesa que mais aposta nesta agricultura é o Algarve devido às características climáticas.

A hidroponia é a ciência de cultivar plantas sem solo, onde as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água e todos os nutrientes essenciais ao desenvolvimento das plantas.

Aspetos positivos e negativos

Prós

As plantas não entram em contato com agentes contaminantes do solo (bactérias, fungos, lesmas...) É quase inexistente o ataque de pragas e doenças, o que diminui a aplicação de inseticidas e fungicidas

A maior parte dos hidropônicos é embalado sem contato manual, o que diminui as possibilidades de contaminação.

As embalagens costumam apresentar rótulo com descrição e procedência do alimento.

Por permanecerem com a raiz, duram mais.

Este tipo de produção pode ser realizada em menor espaço físico do que o sistema de produção convencional e é ideal para lugares com pouco espaço disponível, com grande necessidades de produção/consumo.

Contras

Uma planta doente pode contaminar toda a produção.

A produção hidropónica pode não ser totalmente isenta de produtos químicos; para conservar e proteger as plantas contra ataques de fungos e bactérias, mesmo na água, pode ser necessário usá-los (no entanto, a sua utilização é significativamente inferior).

Dependência de energia elétrica.

Exige um gasto inicial maior que o do sistema convencional -construção de sistemas hidráulico e elétrico, bancadas, estufas, mão-de-obra e técnicos especializados.

 

............................................

Em Portugal, a agricultura é uma actividade económica cuja contribuição para a criação de riqueza tem vindo a decrescer. Deve-se essencialmente, ao desenvolvimento das actividades dos sectores secundário e terciário, cuja participação aumentou muito e tende a crescer, sobretudo a do sector terciário.

O sector agrícola, no entanto, mantém ainda algum peso na criação de emprego e detém uma grande importância na ocupação do espaço e na preservação da paisagem, constituindo mesmo a base económica essencial de algumas áreas acentuadamente rurais do país.

A tendência é de redução do número de explorações e, consequentemente, do aumento da sua dimensão média.

  • Na Beira Litoral e Entre Douro e Minho predominam as explorações de pequena dimensão que geralmente correspondem a minifúndios.
  • No Alentejo predominam as explorações de grande dimensão que, outrora, constituíam vastos latifúndios.
  • Nas regiões autónomas, domina a pequena dimensão das explorações, sobretudo na Madeira.

Em Portugal, o grande número de pequenas explorações condiciona o desenvolvimento da agricultura, uma vez que limita a mecanização e a modernização dos sistemas de produção.

 

Impactes da agricultura

http://www.geografia7.com/uploads/3/1/4/8/3148044/impactos_agricultura.pdf